Seleção Advogado Associado

Seleção de Advogado Associado

A Farah & Laurindo Sociedade de Advogados está a procura de advogada (0),  com perfil empreendedor, e que deseja somar sua carta de novos clientes aos do escritório.

Não existe remuneração fixa, seguimos o convencionado pela OAB, que permite porcentagem dos honorários.

O grande diferencial para você candidato:

  • Nome de Banca já conhecida em mercado;
  • Tecnologia  de ponta de acompanhamento de processos;
  • Escritório todo equipado e pronto para inicio de atendimento;
  • Assistência em atendimento, manutenção e agregar novos clientes.

Envie currículo para marcelo@farahlaurindo.com.br

 

A dor do abandono afetivo inverso – gera dano moral indenizável

Assim como abandonar os filhos, abandonar os pais na velhice, gera danos que devem ser indenizados.

O caso só piora quando falamos de idosos doentes gravemente, que necessitam de cuidados.

A min. Nancy Andrighi já disse:  “amar é uma faculdade, mas, cuidar é um dever”.

A dor do desprezo de um idoso é tão cruel como a dor do abandono sentida por um adulto, que foi privado do cuidado parental por toda vida.

O fundamento jurídico é extraído da própria Constituição Federal de 1988:

Art. 229. Os pais têm o dever de assistir, criar e educar os filhos menores, e os filhos maiores têm o dever de ajudar e amparar os pais na velhice, carência ou enfermidade.

Além da CF/88 como fundamento, podemos extrair do Estatuto do Idoso a obrigação afetiva dos filhos para com os pais:

Art. 3.º É obrigação da família, da comunidade, da sociedade e do Poder Público assegurar ao idoso, com absoluta prioridade, a efetivação do direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, à cultura, ao esporte, ao lazer, ao trabalho, à cidadania, à liberdade, à dignidade, ao respeito e à convivência familiar e comunitária.

Desde que o afeto foi considerado um valor jurídico o abandono afetivo pode gerar indenização, pois é considerado falta de proteção e cuidado. Portanto, se o cuidado e a proteção para com os pais idosos é um dever e este dever não é observado, se está diante de um ato ilícito.

Dispõe o artigo 186 do CC:

“aquele que, por ação ou omissão voluntária, negligência ou imprudência, violar direito e causar dano a outrem, ainda que exclusivamente moral, comete ato ilícito.”

O Entendimento é que a falta de apoio moral e material em um momento peculiar da vida que é a velhice, causa um profundo abalo psicológico no idoso. O que fere a dignidade da pessoa humana.

 

Acordo pré divórcio

Uma das modalidades mais econômicas e menos desgastantes para casais que desejam se separar é a mediação de divórcio, aqui chamada de “Acordo pré divórcio“. Pioneiros nesta modalidade os sócios da Farah & Laurindo simplificam as coisas nesse momento tão complicado, oferecendo soluções amigáveis, de uma forma transparente e justa.

Read more “Acordo pré divórcio”

Correção monetária de restituição tributária divide STJ

Qual o termo inicial da correção monetária em casos de ressarcimento ou compensação de tributos? O momento do protocolo do pedido ou apenas depois de passados os 360 dias do protocolo? A questão que atinge diversos contribuintes será respondida pela 1ª Seção do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Read more “Correção monetária de restituição tributária divide STJ”

Lei altera Estatuto do Idoso e dá prioridades aos maiores de 80 anos

O presidente Michel Temer sancionou nesta quarta-feira, 12, a lei 13.466, que altera o Estatuto do Idoso e estabelece prioridades às pessoas com mais de 80 anos. Segundo a alteração, os maiores de 80 anos sempre terão suas necessidades atendidas com preferência em relação aos demais idosos.

Read more “Lei altera Estatuto do Idoso e dá prioridades aos maiores de 80 anos”